artigo recomendado


Batista, Mariana. (2016). O Poder no Executivo: explicações no presidencialismo, parlamentarismo e presidencialismo de coalizão. Revista de Sociologia e Política, 24(57), 127-155.
Como a literatura vem analisando o Poder Executivo nos diferentes regimes políticos? A partir da diferença institucional básica entre presidencialismo e parlamentarismo pode-se identificar dois conjuntos de contribuições principais para o entendimento do funcionamento do Executivo em democracias: a literatura sobre a presidência americana e as discussões sobre os governos de coalizão no parlamentarismo europeu. O que os dois conjuntos de teorias têm em comum é a preocupação com a política intra-executivo. Esta literatura é analisada, identificando as principais questões, instituições, comportamentos e variáveis enfatizadas.
__________________________________________________________________________________

16 de março de 2010

marx "jornalista"

[Mongolia, 1962
Howard Sochurek
Life]

trabalho a ser apresentado no 7o. encontro da ABCP (2010)

A análise prática da política prática: uma introdução ao estudo dos "textos jornalísticos" de Marx

Adriano Codato (UFPR)

Durante as décadas de 1840-50, Marx publicou uma série de escritos analisando a política institucional. Este paper destaca, da vasta produção do autor editada no New York Daily Tribune, as crônicas sobre a política inglesa entre 1852-1854. O objetivo geral do estudo é examinar o modo pelo qual o escritor pensou a atividade política quotidiana. Enfatizo nessa exegese dois assuntos usuais da tradição marxista: i) o problema da “autonomia da política”; e ii) o papel ativo (ou não) dos agentes sociais. Essa discussão serve de pano de fundo para o problema central tratado na investigação: como Marx lidou com a questão dos profissionais da política? Utilizamos como fonte desses comentários de texto duas compilações da edição crítica das Obras Políticas estabelecida por M. Rubel para as Éditions Gallimard: Chroniques Anglaises (1852-1854) e Lord Palmerston (1853).


[clique aqui para o texto integral]

.

Nenhum comentário: