artigo recomendado


Franz, Walter F. Nique. (2016). Aderentes e militantes: a participação político-partidária na era do Partido Cartel. Revista de Sociologia e Política, 24(60), 91-113. https://dx.doi.org/10.1590/1678-987316246004.
O artigo analisa o estado da arte da literatura sobre as transformações nas formas de participação político-partidária produzida nas últimas décadas. Dois objetivos principais guiam nossa argumentação: (i) fornecer um panorama de referência que possa contribuir ao desenvolvimento de pesquisas sobre esta temática e (ii) atenuar a segmentação que caracteriza as distintas correntes analíticas. Revisando trabalhos publicados em revistas e livros anglo-saxões e franceses, comparamos suas problemáticas, as questões teóricas subjacentes, bem como os métodos de administração da prova utilizados. Destarte, identificamos a estruturação de dois campos de produção politológica que se comunicam pouco. De um lado, uma tradição “Political Science”, mainstream, cujos estudos privilegiam uma abordagem sistêmica e comparada, apoiando-se em uma demonstração fundamentalmente estatística. De outro lado, uma tradição “Sociologie Politique” desenvolvida na França e cuja perspectiva de análise é internacionalmente pouco conhecida. Influenciadas pelo paradigma interacionista, suas pesquisas empregam o método sócio-etnográfico e redirecionam o foco de análise aos níveis meso e micro social. Fazendo um balanço crítico das principais contribuições de ambas as vertentes, apontamos algumas tendências atuais observadas pelos especialistas. Insistimos, particularmente, no potencial heurístico oferecido pelo enfoque da Sociologia Política para agregar novos elementos para a compreensão deste fenômeno.
__________________________________________________________________________________

5 de fevereiro de 2012

teoria política I (mestrado em ciência política - ufpr)

[University Of Iowa, 1961.
Alfred Eisenstaedt.

Life] 


Código: HC 780 / Disciplina: Teoria Política I  
Professor(a) Responsável: ADRIANO CODATO
Semestre/Ano: 1 / 2012
quintas-feiras, 14:30-18:00hs.


EMENTA
Esta disciplina apresenta aos alunos os textos clássicos fundadores da Ciência Política contemporânea. Confere-se especial atenção às teorias políticas elaboradas por Karl Marx, Max Weber e pelos fundadores da Teoria das Elites (Gaetano Mosca, Vilfredo Pareto e Robert Michels). Pretende-se mostrar como tais textos colocam problemas teóricos e metodológicos fundamentais para a Ciência Política contemporânea.
 Syllabus
O objetivo fundamental desta disciplina é levar o aluno a ter contato aprofundado com textos clássicos da ciência política e da sociologia política. Tais textos estão marcados, essencialmente, pela preocupação desses autores em pensar a possibilidade de um conhecimento científico do fenômeno político. Entre outras coisas, procuraremos enfatizar as questões teóricas e metodológicas que, posteriormente, foram abordadas pela ciência política contemporânea e que serão analisadas em Teoria Política II. Por ser uma disciplina de formação, as aulas serão expositivas e será exigida dos alunos, além da apresentação de seminários, a entrega de comentários periódicos da bibliografia obrigatória.
Em função do público muito heterogêneo da pós-graduação, a cada sessão estão indicados dois textos obrigatórios. Um bastante fundamental; outro de leitura mais avançada. O programa pode ser modificado em função das características da turma.

clique aqui para acessar e baixar o programa do curso


OBS.: A (imensa) bibliografia complementar será referida em aula, a cada sessão.

AVALIAÇÃO
O curso está organizado com base em aulas expositivas, seminários e comentários de textos. A cada sessão haverá no mínimo dois seminários. Esses seminários serão apresentados por estudantes previamente indicados e serão destacados mais dois alunos como debatedores. Todos os demais devem enviar, ANTES DA AULA INDICADA, por e-mail, questões e comentários sobre os textos indicados como referência obrigatória no programa para o grupo de discussão do curso teoria-politica-um@googlegroups.com. Todos os apresentadores e os debatedores deverão entregar, após o seminário, um relatório sobre a atividade.
Para a avaliação será levada em conta a participação efetiva em sala, os comentários e o desempenho no seminário.
 .