artigo recomendado


Franz, Walter F. Nique. (2016). Aderentes e militantes: a participação político-partidária na era do Partido Cartel. Revista de Sociologia e Política, 24(60), 91-113. https://dx.doi.org/10.1590/1678-987316246004.
O artigo analisa o estado da arte da literatura sobre as transformações nas formas de participação político-partidária produzida nas últimas décadas. Dois objetivos principais guiam nossa argumentação: (i) fornecer um panorama de referência que possa contribuir ao desenvolvimento de pesquisas sobre esta temática e (ii) atenuar a segmentação que caracteriza as distintas correntes analíticas. Revisando trabalhos publicados em revistas e livros anglo-saxões e franceses, comparamos suas problemáticas, as questões teóricas subjacentes, bem como os métodos de administração da prova utilizados. Destarte, identificamos a estruturação de dois campos de produção politológica que se comunicam pouco. De um lado, uma tradição “Political Science”, mainstream, cujos estudos privilegiam uma abordagem sistêmica e comparada, apoiando-se em uma demonstração fundamentalmente estatística. De outro lado, uma tradição “Sociologie Politique” desenvolvida na França e cuja perspectiva de análise é internacionalmente pouco conhecida. Influenciadas pelo paradigma interacionista, suas pesquisas empregam o método sócio-etnográfico e redirecionam o foco de análise aos níveis meso e micro social. Fazendo um balanço crítico das principais contribuições de ambas as vertentes, apontamos algumas tendências atuais observadas pelos especialistas. Insistimos, particularmente, no potencial heurístico oferecido pelo enfoque da Sociologia Política para agregar novos elementos para a compreensão deste fenômeno.
__________________________________________________________________________________

14 de janeiro de 2017

resenha: retratos da classe política brasileira (2)

[Deputado Heráclito Fortes
PSB/PI]




Bruno Fernando da Silva, Da seleção de candidatos ao recrutamento político no Brasil (1986-2014). Política & Sociedade, vol. 15, n. 32, 2016.



Resenha de CODATO, Adriano; COSTA, Luiz Domingos; MASSIMO, Lucas (Eds.). Retratos da classe política brasileira. Estudo de Ciência Política. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2015. 333 p.

Retratos da classe política brasileira é uma coletânea de artigos de Ciência Política que reúne trabalhos que contemplam desde a seleção de candidatos e as motivações para o ingresso na política até o recrutamento político e os determinantes do sucesso eleitoral. A obra, dividida em dez capítulos, fornece uma grande contribuição para o campo de estudo de elites políticas, enfatizando, sobretudo, a importância de variáveis políticas e sociais para compreender fenômenos políticos. Além disso, os trabalhos contidos no livro promovem um intenso debate com estudos nacionais e internacionais da área, trazendo importantes reflexões teóricas e metodológicas para se tentar compreender os processos em andamento na política nacional. O livro, portanto, partilha do mesmo interesse recente
demonstrado por pesquisas como de Rodrigues (2002 e 2006), Marenco dos Santos e Serna (2007), Perissinotto et al (2007), Braga (2008), Perissinotto e Miríade (2009), Coradini (2012), Marenco dos Santos (2013) e outros tantos. Para esses autores, a classe política brasileira é um fenômeno relevante a ser explicado e, para isso, deve-se investigar desde aspectos sociais de candidatos e eleitosaté a importância de variáveis demográficas, partidárias e ideológicas.

[continua...]

download
http://bit.ly/2jkpDgv
[pdf]


.

resenha: retratos da classe política brasileira (1)

[Detectores de Altura nº 11, 2000
processo cromógeno
80,0 x 125,0 cm (80,0 x 125,0 cm)
montagem
© Marcelo Zocchio]


ARAUJO, Paulo Magalhães. Rev. Bras. Ciênc. Polít.,  Brasília ,  n. 19, p. 317-330,  Apr.  2016.


Resenha de Codato, Adriano; Costa, Luiz Domingos; Massimo, Lucas. Retratos da classe política no Brasil: estudos de ciência política. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2015.

A separação entre governantes e governados nos sistemas políticos modernos evoca o recrutamento político e a formação de elites como centrais na discussão sobre a democracia. Tipicamente, estudos sobre recrutamento político permitem rastrear a trajetória dos representantes desde suas origens sociais, passando por processos de diferenciação que as "descolam" de tais origens, até sua entrada nas arenas de poder (Czudnowski, 1975). Já os estudos sobre elites, em termos estritos, visam entender as configurações sociopolíticas desse segmento social, sua distribuição nas arenas de poder, bem como suas atitudes, opiniões e tendências comportamentais (Anastasia et al., 2010). Sem dúvida, as elites políticas eletivas são privilegiadas nessas duas vertentes de estudos. É inegável a importância dessas pesquisas para o entendimento das dinâmicas referentes à composição e aos potenciais da representação democrática (Anastasia et al., 2010).

Este é logicamente um campo complexo de pesquisa. Novato ou experiente, um pesquisador brasileiro que resolva investir em estudos na área deve dedicar muito esforço para localizar a dispersa - embora crescente - produção bibliográfica e organizá-la a partir de seus recortes temáticos, perspectivas teóricas, estratégias analíticas, metodologias... Um dos méritos do livro Retratos da classe política no Brasil é, precisamente, oferecer ao leitor um portfólio das pesquisas na área, mobilizando uma literatura ampla e atual para avaliar a origem, a formação e o perfil da elite política brasileira - e dos segmentos sociais que buscam integrá-la.

A coletânea foi lançada como e-book e reúne trabalhos já publicados ao longo dos últimos três anos, na forma de artigos ou capítulos de livros, por um grupo de pesquisadores que compartilham o interesse pelo tema. Embora variem em termos dos objetivos específicos, do tipo de dados mobilizados e dos métodos e técnicas de análise, os textos que compõem a obra refletem um esforço coletivo de pesquisa que busca integrar dimensões referentes à estrutura socioeconômica, à cultura, às instituições formais e aos elementos subjetivos que orientam as ações políticas. A tipologia adotada varia levemente de um capítulo a outro conforme o foco do estudo, mas a tripartição das dimensões em socioestrutural, político-institucional e atitudinal - proposta por Bruno Bolognesi e Pedro Medeiros - encampa o esforço geral da obra de identificar e integrar os fatores explicativos dos fenômenos em análise.

[continua...]

download
http://bit.ly/2jk6ACZ
[pdf]

http://bit.ly/2jk0BxG
[html]

 .