artigo recomendado


Franz, Walter F. Nique. (2016). Aderentes e militantes: a participação político-partidária na era do Partido Cartel. Revista de Sociologia e Política, 24(60), 91-113. https://dx.doi.org/10.1590/1678-987316246004.
O artigo analisa o estado da arte da literatura sobre as transformações nas formas de participação político-partidária produzida nas últimas décadas. Dois objetivos principais guiam nossa argumentação: (i) fornecer um panorama de referência que possa contribuir ao desenvolvimento de pesquisas sobre esta temática e (ii) atenuar a segmentação que caracteriza as distintas correntes analíticas. Revisando trabalhos publicados em revistas e livros anglo-saxões e franceses, comparamos suas problemáticas, as questões teóricas subjacentes, bem como os métodos de administração da prova utilizados. Destarte, identificamos a estruturação de dois campos de produção politológica que se comunicam pouco. De um lado, uma tradição “Political Science”, mainstream, cujos estudos privilegiam uma abordagem sistêmica e comparada, apoiando-se em uma demonstração fundamentalmente estatística. De outro lado, uma tradição “Sociologie Politique” desenvolvida na França e cuja perspectiva de análise é internacionalmente pouco conhecida. Influenciadas pelo paradigma interacionista, suas pesquisas empregam o método sócio-etnográfico e redirecionam o foco de análise aos níveis meso e micro social. Fazendo um balanço crítico das principais contribuições de ambas as vertentes, apontamos algumas tendências atuais observadas pelos especialistas. Insistimos, particularmente, no potencial heurístico oferecido pelo enfoque da Sociologia Política para agregar novos elementos para a compreensão deste fenômeno.
__________________________________________________________________________________

8 de setembro de 2013

codificando profissões em estudos de elites políticas

[Marcel Gautherot,
Brasília - DF] 



Codificando profissões em estudos de elites políticas: uma discussão metodológica e tipológica 

Luiz Domingos Costa (NUSP/UFPR; Uninter)
Adriano Codato (NUSP/UFPR)
Lucas Massimo (NUSP/UFPR)

setembro 2013

Paper apresentado no Colóquio Elites em diferentes escalas: teoria e metodologia no estudo de grupos dirigentes - Curitiba, 12 e 13 setembro de 2013.

Resumo:

O paper propõe uma discussão metodológica sobre definição, classificação e mensuração das posições sociais das elites políticas parlamentares. Para tanto, apresenta diferentes estratégias teórico-metodológicas para enquadrar a variável “ocupação prévia à carreira política”, e sugere a pertinência de conjugar mais de um indicador para essa mensuração. Sustenta-se que as transformações no recrutamento político brasileiro podem ser mais bem apreendidas por meio de uma tipologia que leve em conta, ao mesmo tempo, dimensões sociais e políticas dos parlamentares. O paper testa dois modelos de codificação de ocupações em duas bases de dados: a primeira, sobre os senadores eleitos no Brasil entre 1918 e 2010, procura avaliar as alterações na forma como cada codificação de ocupações capta mudanças sócio-políticas em longas séries temporais. Além desta, também são utilizados dados sobre candidatos à deputado federal em 2006 para simular o rendimento das classificações ocupacionais convencionais. Por fim o paper apresenta uma proposta de classificação inédita, resultado de uma tipologia indutiva, que seja capaz de assimilar variações nos valores que as ocupações assumem ao longo da história.

Palavras-chave: profissões, carreira política, políticos profissionais, critérios de classificação de profissões.


para baixar o paper
clique aqui
[Scribd.]

.