artigo recomendado


Sergio Simoni Junior, Rafael Moreira Dardaque, Lucas Malta Mingardi. A elite parlamentar brasileira de 1995 a 2010: até que ponto vai a popularização da classe política? Colombia Internacional, n. 87, p. 109-143, maio-ago. 2016 .
O objetivo deste artigo é debater a tese da popularização do perfil social dos parlamentares brasileiros buscando ressaltar que a literatura, ao ignorar a assimetria de poder institucional entre os legisladores, pode apresentar um viés no seu diagnóstico sobre as características da representação política no Brasil.
__________________________________________________________________________________

6 de outubro de 2008

REPÚDIO: qual Curitiba foi às urnas ontem?

“Não sei ao certo se a sensacional reeleição de Beto Richa significa a satisfação do eleitorado curitibano, se essa satisfação supera ou reafirma o lernismo, e tampouco se a reeleição se apóia no carisma personalista do re-eleito.

Sei que a Curitiba que foi votar ontem está muito bem sintetizada na truculência e na homofobia expressas pelas opiniões em “Que fim levou Andrielly Vogue?” - http://www.fabiocampana.com.br/?p=13562

Mais uma vez, o imaginário homofóbico dos curitibanos ganhou disparado nas urnas. Não é apenas a violência dos policiais que assusta, mas, sobretudo, o tom fascista das opiniões ali veiculadas. Na contramão do todo nacional, a Curitiba higienizada se mantém firme na liderança de um conservadorismo banhado a leitE quentE.

Em tempo,

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=811787&tit=Me-destruiram

JOSE E. SZWAKO”

2 comentários:

Anônimo disse...

não misture leite quente com conservadorismo.

andrielly disse...

Enquanto o presidente Lula, na longa entrevista ao programa 3 a 1, da TV Brasil, defende a união civil de pessoas do mesmo sexo, outras instituições, como escolas, delegacias, igrejas, canais de televisão e outras vão disseminando com a força da moral, do preconceito e da homofobia a violência institucionalizada contra homossexuais.

Andrielly Vogue é um@ travesti, candidat@ a vereador@ pelo Partido dos Trabalhadores – PT, em Curitiba. No domingo passado, às 4h da tarde, quando fazia campanha, ao tentar defender um homem que estava sendo agredido por outro, acabou por quebrar a porta de vidro do Instituto Médico Legal – IML. Foi pres@ em flagrante e levada para a delegacia, onde teve os cabelos raspados e foi colocada numa cela comum, com doze homens.

Diante deste acontecimento de mais um caso de homofobia institucional, a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT distribuiu uma nota em solidariedade à Andrielly e contra a homofobia que ela sofreu. O bloguinho intempestivo, que acabou de receber essa nota, também se solidariza com a compnheir@ Andrielly e publica-a aqui na íntegra.



NOTA DE SOLIDARIEDADE

A ABGLT – Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – é uma organização não governamental de abrangência nacional, que atualmente congrega 203 organizações afiliadas em todos os estados brasileiros e tem como missão: promover a cidadania e defender os direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, contribuindo para a construção de uma democracia sem quaisquer formas de discriminação, afirmando a livre orientação sexual e identidades de gênero.

Neste sentido, a ABGLT vem a público se solidarizar com a travesti Andrielly Vogue, candidata a vereadora na cidade de Curitiba, detida desde da madrugada de domingo passado (14/09), acusada do crime de Dano ao Patrimônio Público.

Ao mesmo tempo que a ABGLT não defende qualquer infração que Andrielly possa ter cometido, também não pode se calar diante do tratamento desumano que a mesma vem sofrendo.

Ao ser presa, não teve sua identidade de gênero respeitada, teve o cabelo raspado, teve sua dignidade violada e está atualmente em uma cela com 12 detentos masculinos no Centro de Detenção Provisória de São José dos Pinhais, onde pode ficar em triagem de 20 a 30 dias.

Antes de ser transferida, na tarde de ontem (17/09) para o Centro de Detenção de São José dos Pinhais, Andrielly passou primeiro pelo centro de triagem de Piraquara, onde teve os cabelos raspados, e também pelo Centro de Detenção do bairro Ahú. Andrielly Vogue está abalada emocionalmente e se sente extremamente vulnerável.

Esta forma de tratamento está em descumprimento das Propostas aprovadas pela 1ª Conferência Paranaense LGBT e pela 1ª Conferência Nacional LGBT, com relação à Justiça e Segurança Pública, à dignidade humana, ao respeito à identidade de gênero, e à necessidade de capacitação dos agentes da segurança pública para o atendimento ao público LGBT:

Os (as) travestis e transexuais presos (as) em flagrante ou em decorrência de mandados de prisão serão inserido (as), imediatamente, no sistema penitenciário, pertencente à Secretaria de Justiça, devendo ser mantidos (as) em ala separada e respeitada a identidade de gênero (1ª Conferência Estadual LGBT - Paraná);

Aplicar a legislação vigente, respeitando os princípios da igualdade, da dignidade da pessoa humana e da não discriminação (1ª Conferência Paranaense LGBT - Paraná);

“Ampliar e criar cursos de direitos Humanos, com obrigatoriedade de inserção de temas relacionados à população LGBT e preconceitos correlatos voltados à formação dos(as) operadores (as) de direito e de segurança pública e agentes penitenciários, através de encontros, seminários e oficinas, de forma permanente e confecção de material didático-pedagógico, com a participação da sociedade civil organizada LGBT reforçando as campanhas de combate à homofobia” (1ª Conferência Nacional LGBT).

Também está em descumprimento do espírito da Resolução 2435/2008 da Organização dos Estados Americanos:

REITERANDO:

Que a Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma que todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos e que a cada um é dado exercer todos os direitos e liberdades existentes nesse instrumento sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de qualquer outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento ou qualquer outra condição;

Que a Declaração Americana de Direitos e Deveres do Homem prevê que todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança de sua pessoa;

CONSIDERANDO que a Carta da OEA proclama que a missão histórica da América é oferecer ao ser humano uma terra de liberdade e um ambiente favorável ao desenvolvimento de sua personalidade e à realização justa de suas aspirações;

REAFIRMANDO os princípios de universalidade, indivisibilidade e interdependência dos direitos humanos; e

TOMANDO NOTA COM PREOCUPAÇÃO dos atos de violência e das violações aos direitos humanos correlatas perpetradas contra indivíduos, motivados pela orientação sexual e pela identidade de gênero,

RESOLVE:

1. Expressar preocupação pelos atos de violência e pelas violações aos direitos humanos correlatas, motivados pela orientação sexual e pela identidade de gênero.

2. Encarregar a Comissão de Assuntos Jurídicos e Políticos (CAJP) de incluir em sua agenda, antes do Trigésimo Nono Período Ordinário de Sessões da Assembléia Geral, o tema “Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero”.

3. Solicitar ao Conselho Permanente que informe a Assembléia Geral, em seu Trigésimo Nono Período Ordinário de Sessões, sobre o cumprimento desta resolução, que será executada de acordo com os recursos alocados no orçamento-programa da Organização e outros recursos.

Não uma questão de advogar para direitos diferenciados para o segmento LGBT, mais sim de apontar para a questão estrutural maior da violação dos direitos humanos nos sistemas carcerários e penitenciários brasileiros de modo geral.

O caso está sendo acompanhado pela equipe do Centro de Referência LGBT do Grupo Dignidade e pela assessoria jurídica do Partido dos Trabalhadores (PT).

A ABGLT já encaminhou pedido de tomada de providências para o Governador do Estado do Paraná, Roberto Requião, o Secretário de Estado da Segurança Pública do Paraná, Luiz Fernando Delazari, o Secretário de Estado da Justiça e da Cidadania do Paraná, Jair Ramos Braga, para o Secretario Especial de Assuntos Estratégicos do Paraná que presidiu a I Conferencia Paranaense LGBT , Dr Nizan Pereira e para o Ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi.

Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT

Informações adicionais:

Toni Reis, presidente da ABGLT: 41 9602 8906

Centro de Referência LGBT do Grupo Dignidade: 41 3222 3999

Centro de Detenção Provisória de São José dos Pinhais: 41 3299 4100

Ads by Google
Banderia do Orgulho Gay
Venda de Bandeira do Movimento Gay e Bandeiras Diversas. Compre Online
www.Bandeira1.com.brPropaganda - Brands
A BrANDS tem a propaganda ideal para seu produto. Acesse e confira.
www.BrandsGroup.com.brinstitucional
Veja Vídeos e Fotos! Atualizado Diariamente. 100% Grátis
4dh.com/VideoCorreio eletrônico livre.
Use PostFix ou Qmail integrados com anti-vírus/spam e openLDAP.
www.4linux.com.br



3 Respostas para “NOTA DA ABGLT CONTRA A HOMOFOBIA INSTITUCIONAL SOFRIDA POR ANDRIELLY VOGUE”
Feed para esta Entrada Endereço de trackback

--------------------------------------------------------------------------------

1 andrielly vogue
Sábado, 27 Setembro, 2008 às 8:37 am
O mais incrivel e que a minha carteira de indentidade
esta com a foto de mulher cabelos compridos roupa de mulher
caracteristicas femeninas e agora estou careca gente como fica. nos aqui em curitiba trabalhamos mas de 3 anos para conseguir essa conquista já foi um dos ultimas estados
a adotar essas ações de indentidade de gênero e o estado me violou.
me sinto violada em todos os meus direitos não podia men falar nada senão era poblema e me colocarão na mão de 2 nigerianos para raspar minha cabeça e as mariposas que eu conhecia do cinema pornografico que frequentão ficarão rindo passando a s nãos nos queixos rindo mechamando de ladrão.
não teho preconceito com os nigerianos trabalho também com o racismo.
ai gente não eu começo a chorar quando tento se manifestar.
não posso sofrer mas ainda mas nada a declarar.
caro amigo toni quando vc estiver em curitiba conversamos ok… des de já agradeço.
quando vi o david pergunte a ele como foi chorei nos ombros dele nunca causei vergonha a nossa instituiçao vc sabe disso caro colega estou escrevendo chorando devo parar ok…

2 João Rickli
Segunda-feira, 6 Outubro, 2008 às 5:23 pm
Quero apenas manifestar minha indignação com a injustiça sofrida por Andrielly Vogue e prestar minha solidariedade. Espero que essa enorme injustiça seja apurada e que algum tipo de reparação seja oferecida a Andrielly.
A você, Andrielly, meus sinceros desejos de que possa rapidamente se restabelecer e que saia desse triste episódio fortalecida e pronta a retomar ativamente seu relevante papel na sociedade civil e sua promissora carreira política.

3 andre augusto
Segunda-feira, 6 Outubro, 2008 às 9:29 pm
esperamos uma reação oficial do governador Requiao.

Deixe um comentário
Conectado como . Desconectar »

Nome

Correio (não será publicado)

Site (URL)






--------------------------------------------------------------------------------
« PT REAFIRMA CANDIDATURA PRÓPRIA E NÃO ACEITA INGERÊNCIA GOVERNAMENTALO JORNALISMO INVESTIGATIVO DO PATRÃO »
--------------------------------------------------------------------------------

--------------------------------------------------------------------------------