artigo recomendado


Sergio Simoni Junior, Rafael Moreira Dardaque, Lucas Malta Mingardi. A elite parlamentar brasileira de 1995 a 2010: até que ponto vai a popularização da classe política? Colombia Internacional, n. 87, p. 109-143, maio-ago. 2016 .
O objetivo deste artigo é debater a tese da popularização do perfil social dos parlamentares brasileiros buscando ressaltar que a literatura, ao ignorar a assimetria de poder institucional entre os legisladores, pode apresentar um viés no seu diagnóstico sobre as características da representação política no Brasil.
__________________________________________________________________________________

31 de janeiro de 2011

o espaço político segundo Marx

[São Paulo, 1990
Cristiano Mascaro.
Pirelli/MASP] 




publicado em Crítica Marxista (São Paulo), n. 32, 2011.


Sustenta-se neste artigo que a análise das obras históricas de Marx permite afirmar que o espaço político não é um “campo” (de lutas sociais por posições estratégicas), nem um “sistema” (de instituições funcionalmente integradas), nem, no sentido mais convencional, uma “estrutura jurídico-política” (apreensível através dos seus efeitos de classe no mundo social). O espaço político pode ser concebido, pelo marxismo clássico, como uma “forma” cujas propriedades são análogas às da forma-mercadoria. A consequência fundamental disso é que a política prática não pode ser apreendida nem analisada como uma aparência social. Daí a inadequação da expressão “cena política” para descrever a visão de Marx sobre o modo de funcionamento do mundo político.

para ler o artigo completo,
clique aqui 

.

Nenhum comentário: