artigo recomendado


Sergio Simoni Junior, Rafael Moreira Dardaque, Lucas Malta Mingardi. A elite parlamentar brasileira de 1995 a 2010: até que ponto vai a popularização da classe política? Colombia Internacional, n. 87, p. 109-143, maio-ago. 2016 .
O objetivo deste artigo é debater a tese da popularização do perfil social dos parlamentares brasileiros buscando ressaltar que a literatura, ao ignorar a assimetria de poder institucional entre os legisladores, pode apresentar um viés no seu diagnóstico sobre as características da representação política no Brasil.
__________________________________________________________________________________

27 de setembro de 2009

Elites universitárias no campo da Ciência Política brasileira: uma análise da produção acadêmica dos principais periódicos da área (1989-2008)

[Air Force Heavy Press,
1952. Al Fenn. Life]


paper a ser apresentado

na reunião da Anpocs, 2009


Fernando Baptista Leite (UFPR),
Adriano Codato (UFPR)

O paper apresenta e discute o método utilizado para analisar a produção acadêmica da área de Ciência Política entre 2004 e 2008.

Nosso principal objetivo é tornar público esse método, para que sirva de referência para outros pesquisadores e para depurá-lo a partir do escrutínio coletivo.

O trabalho é composto da seguinte forma:

(i) defendemos a necessidade do estudo científico, de preferência sociológico, da ciência política e das ciências sociais em geral, indicando como referência vários trabalhos de cientistas políticos americanos sobre a Ciência Política nos Estados Unidos e no mundo;

(ii) apresentamos os elementos fundamentais – premissas, objeto, problema e escopo – da pesquisa sobre a Ciência Política brasileira contemporânea que conduzimos na Universidade Federal do Paraná; e

(iii) expomos e discutimos o método que adotamos para analisar a produção acadêmica da Ciência Política brasileira contemporânea.

Essa exposição está focada numa discussão a respeito da definição dos periódicos a serem utilizados como representantes da produção acadêmica hegemônica; da eficácia dos indicadores escolhidos para identificarmos a hierarquia cultural e institucional do campo e numa descrição do procedimento de análise dos periódicos.

Quanto à questão da eficácia dos indicadores, tratamos especialmente do Sistema Qualis: seria um indicador seguro para se tomar como critério de escolha de periódicos e como critério para medir a importância de periódicos e instituições acadêmicas? Nós pretendemos mostrar que sim.

para ler o paper completo,
clique
aqui

[resumo expandido aqui]
.

Nenhum comentário: